sábado, 29 de janeiro de 2011

Ruivos no antigo Egito - Sacrifícios


Os sacrifícios oferecidos ao rei/deus do antigo Egito Osíris incluíam bois vermelho puro (mesmo um cabelo branco desclassificava um boi como um sacrifício adequado) e homens ruivos.
James Frazer teoriaza que as vítimas ruivas foram, talvez, selecionadas como sendo as que melhor personificavam o espírito do grão vermelho." Um sinal aparente da idéia de que o homem cria seus deuses a sua própria imagem. Ele continua, "quando um deus é representado por uma pessoa viva, é natural que o representante humano devem ser escolhidos em função de sua suposta semelhança com o divino original”. "Misteriosamente, embora Osíris ter se tornado o deus do sol depois da sua morte ("Osiris" que traduzido significa "muitos olhos" e é dito quando se quer indicar os raios do sol) é seu irmão Seth, o deus da discórdia e do mal (que matou Osíris duas vezes) que é representado como tendo cabelos vermelhos.
Isso suscita uma pergunta: Seriam as vítimas ruivas talvez a intenção de representar o deus Seth? Poderia o sacrifício dos ruivos a Osíris ter sido destinado a satisfazê-lo e oferecer a vingança contra seu irmão assassino? Independentemente do motivo exato, os egípcios empregados pelo menos dois métodos de sacrificar os ruivos. O historiador grego Manetho registrou que os homens ruivos foram queimados e suas cinzas espalhadas com abanadores, enquanto outros historiadores gregos sugerem que eles eram enterrados vivos. Apesar de sacrifícios humanos cheirar a barbárie à cultura norte-americana, os antigos egípcios eram uma sociedade civilizada, e os sacrifícios humanos eram realizados apenas por razões muito importantes, tais como a promoção do crescimento da cultura (ou teria sido por vingança?).

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Personalidade ruiva por uma ruiva

“Às vezes são as mocinhas, as vezes as vilãs.
Equilíbrio é uma palavra um pouco distante da realidade de uma ruiva, e tudo o que nos resta e dar muita risada com esse nosso jeitão, e as pessoas que convivem conosco eu tenho a dizer:
ESPEREM PELO PRÓXIMO PERSONAGEM!”
(por Lia Diniz)