quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Ruiva (autor desconhecido)



Fogo a trepidar, labaredas.
A alma excita.
Sol que ilumina, incendeia.
O beijo, o fogo da paixão.
Cabelos vermelhos, soltos,
Liberdade explicita,
Tuas magias.
Ruiva da pele branca,
Perco-me no pensamento,
A imaginar o teu olhar,
Por você, todo o meu sentimento.
És tão rara e única,
Pura e singular,
Eu sou o homem que te venera,
Para sempre vou te amar.
Flor vermelha, excêntrica,
De cheiro superlativo de bom,
Quão linda és,
Hipnotiza, desorienta,
Me faz delirar ao vê-la passar.
Para todo o sempre,
O sonho nunca vai acabar.