domingo, 14 de setembro de 2014

Ruivos originais tem olhos castanhos, loiros olhos azuis

Os loiros originais europeus possuem olhos azuis e os ruivos originais europeus olhos castanhos.
A cultura popular há muito tem relacionado os ruivos com olhos verdes, mas tal fato é incorreto se tratando de genética. Segundo geneticistas olhos verdes não existem. Olhos verdes são fruto da mistura de uma pessoa com olhos castanhos e outra com olhos azuis, e até mesmo de ancestrais que tenham essas cores. 
Digamos que você tenha olhos verdes, você os tem porque seu pai tem olhos azuis e sua mãe olhos castanhos, ou vice-versa. Outra é que você pode vir a ter porque ancestrais seus tinham olhos verdes, azuis e castanhos e eram miscigenados.
Segundo a genética, ruivos originais não têm olhos claros, porque o cabelo ruivo está ligado a mudanças no gene MC1R e este gene está no cromossomo 16.
Já a característica de olhos azuis e cabelos loiros se encontra no mesmo cromossomo. A coloração azul dos olhos está no gene OCA2 e está no cromossoma 15, e a característica do cabelo loiro (gene do cabelo loiro) está no cromossomo 15 também.

Entenda:

Digamos que você tem uma peruca ruiva e lentes de contato azuis. Você coloca a peruca ruiva numa mala e as lentes azuis noutra, e cada mala toma um destino diferente, uma vai para São Paulo e outra para o Rio de janeiro, é isso que acontece se tratando de olhos azuis em pessoas ruivas.
Existem ruivos com olhos claros por causa da mistura com pessoas de olhos claros, principalmente loiros. Outra é que a cor ruiva dos cabelos é recessiva e pula diversas gerações muitas vezes.
Já explicando os loiros de azuis: você tem uma peruca loira e lentes azuis, você coloca a peruca e as lentes numa mesma mala, é isso que acontece com os genes que geram as características dos cabelos loiros e olhos azuis, eles se encontram na mesma mala (cromossoma). Contudo, às vezes, muitos loiros têm olhos verdes, que como já dito é a mistura de olhos azuis ou verdes com olhos castanhos. E há também loiros com olhos castanhos!
Os gene responsável pelos olhos azuis está no mesmo cromossomo que o gene que propicia os cabelos loiros!
Acredita-se que ruivos e loiros surgiram para sobreviver em regiões em que havia pouco sol, pois a ausência de sol causa raquitismo, doença muito vista em negros, pois quanto mais escura a pele, mais luz do sol ela precisa pegar. Outra é que especialistas especulam que ruivos e loiros surgiram dos albinos.
Os albinos conseguiram sobreviver na Europa congelada e com pouco sol e com o tempo se transformaram nos loiros e ruivos de hoje; já na áfrica albinos não tinham e não têm a mínima chance de sobreviver devido a sua pele ser muito branca e assim acabariam morrendo por causa do sol causar câncer de pele e por destruir o ácido fólico do organismo.
Contudo loiros e ruivos tem melanina, embora que em pouca quantidade, e a teoria mais aceita é que loiros e ruivos surgiram por causa do clima ruim da Europa (muito frio e com pouco sol).
Uma estudante escocesa observou que cabelos ruivos estão relacionados ao mal tempo, e que a ausência de sol e o clima frio faz com que a Irlanda e a Escócia consigam manter a sobrevivência desse tipo racial.

Ruivos e loiros são diferentes mesmo

Os ruivos surgiram entre 40 mil a.C. à 20 mil a.C. numa época em que era muito gelada e com pouco sol (Idade do Gelo).
Já os loiros surgiram lá por 15 mil à 9 mil a. C. quando a Europa não era tão gelada e nublada como no tempo dos primeiros ruivos. Isso explica porque ruivos são mais claros que loiros.

Olhos azuis

Já os olhos azuis surgiram muito tempo depois num indivíduo que vivia perto do Mar Negro. 
Possivelmente esse indivíduo era loiro ou pelo simples fato de os genes dos olhos azuis e cabelos loiros se encontrarem no mesmo cromossomo olhos azuis se tornaram uma característica de pessoas loiras.
Pessoas com cabelos pretos e castanhos também têm olhos azuis! Sim, a atriz Megan Fox que o diga, mas isso é devido a mistura de algum loiro da família dela com um moreno (pessoa com cabelo preto ou castanho).

Diferente do que os nazistas pensavam não existe raça pura, faz pouco que os cientistas descobriram que o homo sapiens se misturou com o Homem de Neandertal e aliás até mesmo Neandertais eram loiros e ruivos.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

III Encontro Nacional de Ruivos Naturais

Boa noite galera,
Depois de muito tempo sem atualizar o blog, resolvi deixar aqui a notícia da realização do III Encontro Nacional de Ruivos Naturais, promovido todos os anos pelo RuvosMania.
Esse ano o encontro será realizado nos dias 06 e 07 de setembro, em Curtiba/PR e irá reunir ruivos naturais do Brasil inteiro.
Ruivos de São Paulo, Rio de Janeiro e outras cidades do Brasil já estão organizando excursões para chegarem todos juntos à capital Paranaense, que esse ano ficará mais laranja.
O link com mais informações sobre o evento é: 

Como tivemos que restringir o acesso ao evento (por limitações do facebook), só terão acesso às informações os ruivos naturais que estejam participando do grupo do RuivosMania no Facebook. 
Por isso, aproveito a oportunidade para convidar todos os ruivos naturais que ainda não estão no grupo à juntarem-se a nós. Já são quase 4.400 ruivos naturais do Brasil inteiro (e até do exterior) reunidos e esse número só cresce. 
Quantos ruivos será que existem no Brasil? Me ajudem a reunir TODOS!! \õ/

Abraço 
Filipe Paiva 

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

10 fatos sobre ruivos

1.            O cabelo ruivo natural é mais difícil de tingir do que outras cores
Teimosos por natureza, os cabelos ruivos seguram seu pigmento com muito mais firmeza que qualquer outra cor de cabelos. Se as ruivas desejassem tingir os cabelos de qualquer outra cor (para quê?), só teriam uma diferença perceptível depois de descolorir o cabelo. Senão a cor não pega.
Descolorir é ruim para qualquer cabelo. Especialmente os ruivos, que são muito mais frágeis que outros.
2.            Os ruivos têm menos fios de cabelo na cabeça
Em termos de número total de fios, os ruivos têm muito menos em suas cabeças do que qualquer outra cor.
Em média, as belas com cabelos flamejantes têm 99 mil fios, comparadas com as loiras (110 mil) e as morenas (140 mil).
Mas elas não estão exatamente ficando carecas, pois cada fio de cabelo ruivo natural é muito mais grosso, por isso normalmente a aparência é que as ruivas têm muito mais cabelo em geral.
Esses fios mais grossos tornam mais fácil pentear -- pode ficar com inveja.
3.            Os ruivos não ficam grisalhos
Mantendo-se fiéis ao estereótipo de teimosos, os ruivos mantêm a pigmentação natural dos cabelos por muito mais tempo do que outras cores.
Por isso não há necessidade de entrar em pânico sobre ficar grisalha -- o cabelo ruivo simplesmente desbota com a idade, passando por um espectro glorioso de cobre desbotado a louro-rosado, depois para branco-prata.
4.            Cabelo ruivo e olho azul é a combinação mais rara no mundo
A maioria dos ruivos naturais têm olhos castanhos, e outros provavelmente têm olhos cor de avelã ou em tons de verde.
Mas, assim como o cabelo ruivo, os olhos azuis são uma característica recessiva, o que significa que os dois pais devem ter os genes para que uma criança seja abençoada com eles. Isso torna os ruivos com olhos azuis a minoria mais rara do mundo, com somente 1% tendo ambos.
Por isso, cada um é quase tão raro quanto um trevo de quatro folhas.
5.            Eles são mais sensíveis à dor térmica
Inúmeros estudos examinaram a genética por trás dos ruivos alegando que eles são mais ou menos sensíveis à dor.
Pesquisa mostra que os ruivos são mais sensíveis à dor quente e fria, pois seus corpos são capazes de mudar de temperatura muito mais depressa.
E também na cirurgia os ruivos podem exigir aproximadamente 20% mais anestesia do que outras cores de cabelos. O motivo exato disto é desconhecido, mas acredita-se que uma ligação com o gene mutante MC1R possa ser o culpado por sua eficácia.
6.            Os romanos pagavam um preço maior por escravos ruivos
As pessoas com cabelos de fogo eram muito apreciadas na arte e na cultura romanas. Considerados fortes e determinados, eles eram mais caros que outros escravos, e os prisioneiros tinham os cabelos tingidos para serem exibidos como troféus.
Também há relatos de que perucas de cabelos ruivos eram importadas do norte da Europa para que os escravos as usassem.
7.            Rússia significa "terra de ruivos"
A Rússia -- nome que significaria "terra de ruivos" -- exibe uma alta densidade de ruivos localizados na região do Kazan, com mais de 10% deles, uma densidade semelhante à da Escócia e da Irlanda.

8.            40% dos britânicos são "ruivos secretos"
Uma extensa pesquisa realizada pela BritainsDNA descobriu que mais de 40% da população britânica têm o gene mutante MC1R, que é responsável pelo cabelo ruivo.
Os dois pais devem ter o gene para poderem produzir um bebê ruivo, o que fica em 25% se eles mesmos não forem ruivos mas ainda possuírem o "gene secreto".
9.            Adolf Hitler teria proibido os casamentos de ruivos
... por medo de "descendência anômala". É claro.

10.         Os ruivos geram sua própria vitamina D
Ter pele clara pode significar que os ruivos se queimam com maior facilidade quando expostos aos raios ultravioleta, mas sua palidez pode ter uma vantagem. Os ruivos não conseguem absorver vitamina D suficiente devido às baixas concentrações de eumelanina em seu corpo.

Isso pode parecer uma má notícia, mas a menor concentração de melanina significa que os ruivos podem produzir sua própria vitamina D no organismo quando expostos a baixas condições de luz.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Grupo do RuivosMania no Facebook (somente para ruivos naturais)

Quem for RUIVO NATURAL e quiser participar do grupo do RuivosMania no facebook, nos procure por lá :)
Atualmente, são quase 3.700 ruivos naturais unidos e interagindo sobre os mais diversos assuntos voltados à ruivice. 
Então, se você é ruivo natural ou conhece algum, entre/indique o grupo que será super bem-vindo :)
Abraço

Filipe

Endereço: https://www.facebook.com/groups/158631284206904/

Fuja de tretas com ruivas!


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Série fotográfica "Red Hot" retrata a beleza do homem ruivo

Cabelos e barbas da cor de labaredas, pele e olhos claros, sardas em todo o rosto, os ruivos são uma espécie rara e isso lhes confere um charme especial. Se há quem não seja apreciador, também há quem tenha fetiches com eles. Pra essa camada da sociedade surgiu uma série fotográfica denominada “Red Hot, no qual estrelam belos ‘cenourinhas’.
O peculiar ensaio é de autoria do fotógrafo Thomas Knights e deu origem a uma exposição que por enquanto ocupa The Gallery, em Londres. Tem feito sucesso graças às caraterísticas muito particulares dos homens ruivos, realçando toda a sua beleza.
A série é também uma oportunidade pra refletir sobre a marginalização de determinados grupos na sociedade e a ideia de beleza e identidade no mundo moderno.
Abaixo o trailer da série:

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Para uma ruiva (de Hermeto Giménez)



O contraste perfeito: Branco, Vermelho e verde; 
O Branco, delicado, como a luz da lua cheia que deixa-me imóvel; 
Os olhos Verdes, da natureza ainda desconhecida, inexplorada, que se tornam azuis trazendo a calmaria de um mar em fúrias e de um céu em paz; 
O cabelo Vermelho, que assim como o sol e o ouro, brilham e se notam de longe a beleza que nasce aos olhos. 
A água gelada que ferve ao seu mais sútil toque; 
O olhar, que atravessa a alma e acorda todos sentimentos ainda desconhecidos; 
As pintas, que brilham em seu rosto sem nenhuma imperfeição, nenhuma nuvem como uma linda noite estrelada; 
A nobreza, a postura, a perfeição; 
a inquietação de meu coração que hoje anda desnudo; 
Esse que toca os sonhos mais animalescos e profundos de um poeta e que desperta um monstro... chamado amor e paixão.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Ruivos estão em extinção?

NÃO. O mito ganhou força em 2007, quando a revista National Geographic dos EUA comentou artigos científicos que previam o fim do cabelo vermelho até 2060. Entretanto, a própria publicação duvidava desse futuro trágico. Segundo estudos, o baixíssimo índice de ruivos pelo mundo (cerca de 2% da população) se deve a uma mutação do gene no norte europeu há milhares de anos. Com a mistura da globalização, o gene ficou ainda mais raro, mas não significa que vá sumir, podendo apenas ficar inativo por algumas gerações. Para ter um filho ruivo, é necessário que ambos os pais possuam uma das cinco variações do gene recessivo MC1R e as transmitam para o herdeiro. Caso só um dos pais apresente a variação, existe a possibilidade de nascer um bebê que, apesar de loiro ou moreno, seria portador do gene variante, podendo gerar um netinho ruivo se casado com outra portadora.

domingo, 25 de agosto de 2013

Reportagem do I Encontro nacional de Ruivos. Esse ano tem a 2ª edição! ;)

Vídeo com matéria sobre o I Encontro Nacional de Ruivos que aconteceu em São Paulo no ano passado.
Neste ano vai ter a 2ª edição que acontecerá na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro nos dias 07 e 08 de setembro de 2013.
Quem for ruivo natural ou conhecer algum não pode deixar de ir! :)

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Mini Documentário sobre ruivos

Os vários tons de vermelho e as sardas no corpo também já foram temas de documentário, que mostra que os ruivos vão além da cor do cabelo.
Para mostrar as características e os fatos curiosos que acompanham essa parcela da população, estudantes de comunicação social da Universidade Federal Fluminense (UFF) fizeram um filme sobre rutilismo. O documentário “Ruivos: Muito Além do Cabelo Vermelho” foi um trabalho de faculdade e, apesar de não serem da área de cinema, o documentário fez sucesso e participou do Festival Brasileiro de Cinema Universitário que aconteceu em agosto, no Rio. De acordo com a produtora do documentário, a estudante Karla Vidal, a ideia para o vídeo surgiu de maneira natural.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Os "albinos puros", uma teoria para a origem dos ruivos



foto de tribo isolada na Índia

O historiador romano Cornelius Tacitus (56-118 A.D.) descreve algumas tribos isoladas, localizadas ao norte de Roma como pessoas de "olhos ferozmente claros, cabelos vermelhos, ombros largos e com pouca capacidade de trabalhar sob o sol", sendo que haviam alguns albinos com eles. Eram chamados de "albinos puros".
Posteriormente, estes seriam conquistados pelos romanos, que cultivavam o hábito de matar todos os homens e violentarem as mulheres, engravidando-as desta forma. Todos que nasciam dessas gestações eram considerados escravos e misturados com os demais.
Mas nem todos da tribo foram capturados, muitos fugiram para o norte europeu e para a ilha onde temos a Grã-Bretanha atualmente.
Como parte deste povo foi "absorvido" pelos romanos, isso explica a existência de ruivos e o "clareamento" do povo europeu em geral, que tinha a pele mais escura do que associamos atualmente.
Podemos notar que os ruivos oriundos do norte europeu tendem a ter a pele mais clara que os mais próximos do mediterrâneo.
Posteriormente, já em tempos modernos, foi localizada uma outra tribo isolada no norte da Índia com uma enorme concentração de albinos e ruivos, o que leva a conclusão que a mutação em si tem origem com o isolamento destes albinos.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

A distribuição de ruivos na Europa




O mapa mostra a distribuição de ruivos na Europa. Como se pode ver, trata-se de uma distribuição irregular, com elevada presença de ruivos na Irlanda, Escócia e País de Gales, bem como na Rússia, que contam com uma população ruiva que representa mais de 10% da população total. Mas, por outro lado, a maioria das regiões possuem baixíssimo índice de ruivos, sendo a incidência quase nula.
Ainda, é difícil responder a algumas perguntas sobre estes dados genéticos – como o questionamento de que se, no passado, os ruivos já estiveram mais bem distribuídos em toda a Europa ou se sempre estiveram distribuídos dessa maneira como se encontram hoje mostrados no mapa, nunca tendo realmente se espalhado pelo continente europeu.
Importante lembrar que a manifestação fenotípica dos cabelos vermelhos ocorre quando um indivíduo tem dois alelos recessivos para o receptor da melanocortina 1 (MC1R). Este é um tipo de proteína de GPCR (um tipo de proteína que é normalmente encontrado incorporado na membrana de uma célula, e que muitas vezes medeia a transferência de informação a partir do exterior para dentro da célula, ou vice-versa ). O gene para esta proteína encontra-se no cromossoma 16. Em qualquer caso, se você tem os alelos recessivos, você produzirá feomelanina (o pigmento responsável pelos cabelos vermelhos e loiros e tom da pele) e não a Eumelanina (o pigmento marrom/preto). Assim, se o indivíduo tiver um alelo recessivo e um alelo dominante, então, ele não terá o cabelo vermelho (ruivo), muito menos terá se possuir ambos os alelos dominantes.