sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Para uma ruiva (de Hermeto Giménez)



O contraste perfeito: Branco, Vermelho e verde; 
O Branco, delicado, como a luz da lua cheia que deixa-me imóvel; 
Os olhos Verdes, da natureza ainda desconhecida, inexplorada, que se tornam azuis trazendo a calmaria de um mar em fúrias e de um céu em paz; 
O cabelo Vermelho, que assim como o sol e o ouro, brilham e se notam de longe a beleza que nasce aos olhos. 
A água gelada que ferve ao seu mais sútil toque; 
O olhar, que atravessa a alma e acorda todos sentimentos ainda desconhecidos; 
As pintas, que brilham em seu rosto sem nenhuma imperfeição, nenhuma nuvem como uma linda noite estrelada; 
A nobreza, a postura, a perfeição; 
a inquietação de meu coração que hoje anda desnudo; 
Esse que toca os sonhos mais animalescos e profundos de um poeta e que desperta um monstro... chamado amor e paixão.