terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Bebê de Kate Middleton tem grandes chances de nascer ruivo


Como qualquer outro casal que espera seu primeiro filho, Kate Middleton e o príncipe William já devem estar pensando nos traços físicos de cada um que o bebê vai herdar. Para aumentar a expectativa, cientistas britânicos fizeram um estudo e revelaram que a criança tem grandes chances de nascer ruiva, igual ao tio, o príncipe Harry. 
Os pesquisadores testaram mais de cinco mil pessoas na Grã-Bretanha junto ao DNA ancestral e chegaram à conclusão de que 38,3% da população do país tem genes de cabelo vermelho, mesmo que muitas vezes não saibam disso. Para a criança nascer com os fios ruivos, os pais devem ser portadores desses genes. O que, certamente, foi o caso do príncipe Charles e da princesa Diana ao terem Harry. 
"Após as pesquisas, chegamos à conclusão que o príncipe William tem 67 % de ser portador de gene variante. Já Kate tem 38,3%. Fazendo a média sobre esses números, a chance do bebê real nascer ruivo é de 52%", revelou o diretor da pesquisa para o jornal “Daily Mail”. 

MAIS DO ESTUDO 
O Instituto de DNA Britânico, responsável pela pesquisa sobre o bebê real, revelou também os seguintes números: 
- Apenas 5% da população britânica (cerca de 3, 132 milhões de pessoas) tem os cabelos vermelhos; 
- 24 milhões de pessoas no país são portadoras do gene do cabelo ruivo, embora muitas não sabem nem que ele exista; 
- Em contrapartida, o percentual da população mundial composta por ruivos é muito baixo: varia de 1% a 2%. 

(particularmente eu não acredito nesta matéria no tocante ao percentual de chances de o bêbê do casal nascer ruivo. Ela é meio furada, porque se utiliza de uma média maluca para se chegar a um índice absurdo, mas postei pelo restante das informações sobre os índices de ruivos na Inglaterra). 

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

"I collect gingers" - Eu coleciono ruivos


Anthea Pokroy é uma artista de cabelos de fogo, residente em Joanesburgo, África do Sul, que teve uma ideia bem legal: ela coleciona ruivos. 
O Projeto da Anthea, “Eu coleciono ruivos” (I collect gingers) começou em 2010, quando ela decidiu reunir em uma verdadeira coleção mais de 500 ruivos, com belezas de todo o mundo, e imortalizá-los através da arte da fotografia. 
A partir daí, o seu objetivo era o de explorar o "outro lado" da ruivisse e celebrar a sua beleza, a experiência dividida entre ruivos quando se encontram, incluindo a sua capacidade de falar por horas a fio sobre como é a vida de um ruivo. 
Em um contexto histórico de opressão e discriminação, “Eu coleciono ruivos” olha os ruivos como uma auto-identificada "raça", e explora a história por trás da discriminação contra aqueles que têm o cabelo naturalmente vermelho. 
Anthea fotografou parte de sua "coleção" em toda a África do Sul, mas também fotografou na Holanda durante o Redheadday 2012, onde Anthea hospedou-se numa tenda de fotografia para tirar fotografias de ruivos em grande quantidade para adicioná-los à sua coleção. 
E, dois anos e meio mais tarde do início de tudo, o trabalho de Anthea será apresentado em sua exposição de estréia solo, no Circa Gallery, em Joanesburgo, de 17 de janeiro até 2 de março de 2013. 

Todas as fotos podem ser vistas no site: www.icollectgingers.com.

Abaixo um vídeo da artista explicando o porquê coleciona ruivos. (áudio em inglês)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Loiras ganham mais dinheiro por ano do que morenas e ruivas, mostra pesquisa



Uma pesquisa realizada pela rede de lojas Superdrug apontou que as loiras ganham £600 (cerca de R$ 1.550) por ano a mais que morenas ou ruivas. A pesquisa ouviu três mil mulheres que trabalham e que, embora ganhem mais, não acham que são levadas a sério no trabalho — posto já ocupado pelas morenas, já que oito entre dez se orgulham disso. Já as ruivas mudam de emprego regularmente à procura de melhores salários, cargos ou condições de trabalho.
O estudo aponta ainda as morenas como mais estáveis, já que permanecem mais tempo nas empresas; as louras como mais sociáveis pois valorizam o relacionamento com os clientes e se preocupam com o reconhecimento dos colegas de trabalho; e ruivas como trabalhadoras ambiciosas que não se importam de levar trabalho para casa.
No quesito escolaridade, as louras também saem na frente com mais títulos que morenas ou ruivas. — Esta pesquisa ressalta que a cor dos cabelos pode ter um efeito dramático na vida da mulher, que está sempre procurando inspiração.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Ruiva (autor desconhecido)



Fogo a trepidar, labaredas.
A alma excita.
Sol que ilumina, incendeia.
O beijo, o fogo da paixão.
Cabelos vermelhos, soltos,
Liberdade explicita,
Tuas magias.
Ruiva da pele branca,
Perco-me no pensamento,
A imaginar o teu olhar,
Por você, todo o meu sentimento.
És tão rara e única,
Pura e singular,
Eu sou o homem que te venera,
Para sempre vou te amar.
Flor vermelha, excêntrica,
De cheiro superlativo de bom,
Quão linda és,
Hipnotiza, desorienta,
Me faz delirar ao vê-la passar.
Para todo o sempre,
O sonho nunca vai acabar.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Pigmento é responsável por câncer de pele em ruivos


Teste com cobaias concluiu que 'feomelanina' pode lesionar células. Doença na 1ª camada da pele pode surgir sem exposição intensa ao sol.

O pigmento responsável pela cor do cabelo em pessoas ruivas pode contribuir para a formação de melanoma, um tipo agressivo de câncer de pele, sugere um estudo publicado por cientistas americanos e alemães na revista "Nature".
A pele branca desses indivíduos já precisa naturalmente de maior proteção contra os raios ultravioleta (UV) do sol. Mas, em testes com camundongos ruivos, os autores – liderados por David Fisher, do Hospital Geral de Massachusetts, nos EUA – perceberam que animais muito claros e com sardas não precisam se expor à radiação para ter câncer.
Isso porque esses bichos têm uma dificuldade natural de produzir um pigmento de cor castanha ou preta chamado eumelanina, que ajuda a bloquear os efeitos prejudiciais da radiação e eventuais lesões ao DNA das células.
Por outro lado, as cobaias fabricavam outro tipo de pigmento, a feomelanina, de cor amarela ou vermelha. Como essa maior predisposição ao melanoma não foi vista em camundongos albinos, os pesquisadores atribuem a alta incidência de câncer de pele em animais ruivos à feomelanina, que causaria oxidação e danos às células.
Além do Hospital Geral de Massachusetts, participaram do estudo o centro de câncer e vacinas Instituto Wistar, na Filadélfia, e as universidades Yale, da Califórnia, de Kentucky e de Ulm, na Alemanha.
O melanoma é um tipo maligno de tumor que atinge a camada mais superficial da pele – a epiderme – e responde por 5% do total de casos de câncer de pele. Acomete as células chamadas melanócitos, que produzem a melanina, pigmento que dá cor à pele e se divide em eumelanina e  feomelanina.
O melanoma é uma doença considerada altamente perigosa, porque tem alto risco de sofrer metástase, ou seja, espalhar-se rapidamente para outros órgãos do corpo.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Gêmeas Ruivas *_______*

Quem não sonha com gêmeas ruivas? *__*
Aí vão algumas fotos de ruivinhas em dose dupla para despertar a vontade de vocês. :)

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Os Wesley não são ruivos!


Desculpe os fãs de Harry Potter e, principalmente os que admiravam e se surpreendiam em ver uma família composta só de ruivos: os Wesley. Ainda mais gêmeos ruivos! :O Nossa, seria muito bacana e raro se isso fosse de verdade...mas era só no filme. :/
Na vida real só quem é ruivo de verdade mesmo é o Roney (Rupert Grint) e a Gina (Bonnie Wright), o restante da família é fake, entre eles o pai Arthur (Mark Williams), a mãe Molly (Julie Walters) e os gêmeos Jorge e Fred (Oliver Phelps e James Phelps). Mas no caso da Gina a atriz fora das telinhas tem os olhos azuis, diferentemente do filme em que ela aparece com os olhos castanho.
Vejam aí fotos dos atores com suas cores de cabelos e olhos naturais. 


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Depoimento de um ruivo



"Resolvi escrever para o Blog, pois gostaria de contar sobre o que passei na infância e gostaria de tentar ajudar pessoas que talvez passem ou tenham passado pelos mesmos problemas que eu tive de enfrentar quando criança.
Logo no primeiro dia de aula fui tratado com hostilidade por conta da cor dos meus cabelos, piadinhas e apelidos eram frequentes. Logo, comecei a me sentir diferente e excluído do grupo, e isso só piorou quando mais tarde além das piadinhas sobre os cabelos começaram as agressões físicas.
Alguns anos depois, ao entrar para o sexto ano (antiga quinta série) comecei a sofrer preconceito, não só pelo ruivo dos meus cabelos, mas também pela minha homossexualidade e pelas manias devido ao TOC. As agressões se tornaram mais frequentes e a vida escolar um inferno, passei a “matar” aulas pra fugir das agressões que eram diárias.
Um dia, quando “matava” aula, fui abusado sexualmente, daí pra frente às coisas só pioraram. Não comentei com ninguém sobre nada, passei por quadros de síndrome do pânico, tinha medo e por fim tentei suicídio.
Hoje em dia escolhi como profissão ser professor, para tentar ajudar e proteger meus alunos. Faço trabalho voluntário na pastoral da criança. Tomei como meta de vida ajudar pessoas que assim como eu tenha passado ou passem por este mesmo tipo de violência.
Hoje em dia não tenho uma vida afetiva satisfatória, tenho problemas com síndrome do pânico, varias vezes durante a infância cheguei a pintar os cabelos para fugir das piadinhas e agressões que diariamente era submetido. Hoje tenho 26 anos e ainda não consegui me livrar dos traumas de infância.
Se você ruivo/ruiva que se identifica com minha história, grite por socorro, não tenha medo! Confie em seus pais e professores, a culpa não é tua, pois você só é mais uma vítima de uma violência invisível que é mais comum do que se imagina".

Um Ruivo

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Ruivos adotados (por Diego A. Martins)

Acontece isso com boa parte dos ruivos (ser a única ovelha vermelha da família), por isso que criei o blog, pra tentar explicar pros vermelhinhos "de onde vieram e pra onde vão" :)