quarta-feira, 3 de março de 2010

Sensibilidade e o câncer de pele (Escócia)

Um professor da Universidade de Edimburgo pediu a voluntários ruivos o ajudassem na sua investigação sobre o porquê de tantos escoceses possuírem cabelos ruivos, uma vez que 10% dos escoceses e irlandeses possuírem essa cor de cabelo tão rara no restante do mundo. Acredita-se, ainda, que até 35% da população destes dois países carreguem o gene recessivo ruivo.
Uma das origens pode estar no fato de que, antes de melhorias na alimentação dos povos, muitas pessoas desenvolveram raquitismo porque eles não estavam recebendo vitamina D suficiente, tanto em sua alimentação como através da exposição ao sol.
Assim, acredita-se que, com a pele muito clara, ruivos necessitam de muito menos sol para que obtenham as vitaminas necessárias para se livrar do raquitismo e outras condições adversas. Eles floresceram num refrigerador, em climas menos ensolarados.
A investigação está sendo conduzida pelo professor de dermatologia Jonathan Rees, que busca estudar a sensibilidade da pele, a exposição solar e o câncer de pele. Ele disse que pode haver algumas razões principais para a elevada proporção de ruivos na Escócia: "Uma é que houve uma seleção para o cabelo vermelho, pessoas com a pele pálida que foram selecionadas no norte da Europa”.
A razão para a seleção pode ser que as pessoas com pele clara são mais capazes de produzir a vitamina D em seu próprio corpo. A vitamina D é sintetizada na pele e, no passado, havia deficiências generalizadas de vitamina D, justamente pela falta do sol e por seus padrões de pele não serem capazes de produzir vitamina D suficiente em condições adversas.
"As pessoas que carregam o gene não necessariamente têm o cabelo vermelho, mas nós sabemos que eles também são sensíveis ao sol. Queremos saber em que grau as pessoas são sensíveis e colocá-lo em uma escala numérica real."

Segundo dados oficiais:
* 125 escoceses são diagnosticadas com câncer de pele a cada semana
* 199 pessoas morreram de câncer de pele na Escócia, em 1998. Em 1997, 182 pessoas morreram
* Em 1997, houve 6.739 casos de câncer de pele na Escócia, contra 6.632 em 1996.

Um comentário:

  1. Fernanda Nachtigall10 de abril de 2010 14:06

    Por isso devemos cuidar de cada sarda como um filho!!!! =D

    ResponderExcluir