terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Um poema para Charlie Brown (por Gabriela Bandeira)

Pois é, Charlie, você não veio ao meu encontro
Fico a imaginar se dormiu e passou do ponto
De devaneios sobrevive nos tempos atuais
Bem sabe que me ama de outros carnavais
Sequer tentou
Sua garotinha ruiva se afastou
Querido Minduim
Se ainda quiser a mim, escute
Pode ser que eu mude
Tanto que sou capaz de querer algo banal
Já não sei se sou dessas
Para gostar de um fraco com crise existencial

5 comentários:

  1. trate sempre,charlie
    uma ruiva muito bem...
    queira-a direito
    e ela vai querer-te também


    felipe,obg por reconhecer nosso valor ,ultimamente tem sido difícil achar pessoas que deem importancia a outras pessoas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Fico feliz :)

      Bjs
      Filipe

      Excluir
    2. lindo o poema ! parabéns amor
      ane

      Excluir
  2. Filipe, se pudesse, gostaria que colocasse meu nome no final do post, afinal fui quem escrevi. Rs

    Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Claro Gabi!
    no site que peguei não tinha créditos aí não sabia de quem era
    obrigado por avisar :)
    bjs
    Filipe

    ResponderExcluir